terça-feira, 13 de Abril de 2010

Ofertório

Se nada tens a oferecer ao senhor
apresenta tuas dores, tua fadiga apenas.
Quanto custou a tanta gente
este pedaço de pão, colocado na patena.

Se tens as mãos vazias e a boca amarga e seca,
oferece o coração machucado, meu amigo.
Para que o vinho espumasse neste cálice
foi preciso - não foi? - pisar a uva e moer o grão...

Se nada tens em tí mais que amargura e pecado,
o cansaço de viver e a angústia que te oprime,
que tuas mãos elevem para o céu estas míseras coisas,
pois o amor, de antemão, as acolheu na ceia!

E se nem forças tens para ofertar e implorar,
se em tí tudo é abandono e solidão,
silenciosamente aceita - e é só - que um outro
te receba, vele por tí e sejam um só dom
o ofertante e a oferenda...

Sem comentários:

Enviar um comentário